Análise do “superbólido” do Rio de Janeiro em andamento

Os membros da Exoss estão trabalhando para identificar características e  as origens do superbólido registrado no Rio de Janeiro no último dia 16 de outubro de 2015.

Abaixo, seguem as primeiras imagens em fase de pré-tratamento e análise da captura realizada pela estação Exoss de São Sebastião-SP.

meteoro rio de janeiro
Imagem pré-processada, é possível identificar a constelação de Órion acima do centro. No canto inferior direito está a trajetória do bólido, que segue uma linha reta. (Estação EPS-SP)

CAPTURA DA FRAGMENTAÇÃO DO METEORO

Após o uso de filtros especiais, nós conseguimos uma imagem composta que mostra a fragmentação do bólido em sua trajetória descendente rumo ao interior do Estado do Rio de Janeiro.

meteoro do rio de janeiro fragmentacao
Imagem da fragmentação do Bólido, enquanto queima na alta atmosfera.

Na próxima figura, apresentamos o mapa da região onde o evento ocorreu, mostrando também curvas de densidade coloridas representando o número de testemunhas por localidade: quanto mais vermelha maior a quantidade de pessoas que relataram o evento. Até o momento desta publicação, foram feitos 54 relatos visuais, através da ferramenta bolido.exoss.org.

2
Mapa produzido a partir dos relatos de avistamento, elaborado em parceria com a equipe da AMS. Podemos notar facilmente a grande densidade de avistamento no região da baixada fluminense, bem como pontos espalhado no litoral de São Paulo e na direção do interior e Norte do rio de Janeiro. Clique no mapa para ampliar

A seguir,  imagens em animação, da câmera allsky do OPD – Observatório Pico dos Dias, da qual fomos autorizados a verificar e publicar. Acreditamos que a referida câmera tenha registrado o fenômeno. O horário confere,  como também a posição do flash de acordo com a direção e orientação do bólido registrado em outras duas estações Exoss de Mogi das Cruzes-SP e São José dos Campos-SP.

eps
Imagem da esquerda da câmera EPS-SP na cidade de São Sebastião-SP. Imagem da direita da câmera Allsky do OPD-LNA.

A potência do bólido foi tão grande que a aproximadamente 320 km de distância da região do fato, seu brilho pôde ser capturado pela câmera que está situada no Observatório Pico dos Dias na cidade de Brasópolis, Sul de Minas Gerais.

unnamed

safe_image
Imagens em animação: É notável o flash no canto inferior esquerdo das duas animações, acreditamos que esteja relacionado a explosão do bólido, nos céus do Rio de Janeiro

É notável o flash a partir do canto inferior direito, acreditamos que esteja relacionado a explosão do bólido, nos céus do Rio de Janeiro.

POSIÇÃO DA EXOSS

Foi noticiado que o bólido poderia estar associado a chuva Orionideas, cujo período de atividade vai de 2 outubro até 7 de novembro, com o pico máximo nos dias 21-22 de outubro.Somente após a finalização de nossas investigações com os dados coletados, poderemos dar um parecer sobre a origem deste meteoro.

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Qual sua opinião sobre este post? Deixe seu comentário.