Trilha de poeira de chuva de meteoros Geminids é vista pela primeira vez

A Parker Solar Probe da NASA avistou a trilha de poeira da chuva de meteoros Geminids do espaço pela primeira vez. À medida que orbita o Sol 21 vezes mais, a sonda ajudará os cientistas a examinar a estrutura misteriosa da trilha. 

Meteoros em chuveiros anuais como os Geminids – que atingiram o pico em 14 e 15 de dezembro – acontecem quando a Terra encontra trilhas de poeira no espaço, que os astrônomos chamam de fluxos de meteoros deixados para trás principalmente por cometas. À medida que a poeira entra em nossa atmosfera, ela vaporiza e produz raios de luz que vemos como ‘estrelas cadentes’.

 

Pela primeira vez na história, a sonda detectou o pó de asteroide que faz as estrelas cadentes. Desde que o Parker foi lançado, em agosto de 2018, ele circulou o Sol três vezes, chegando mais perto do que qualquer espaçonave antes dele e se movendo mais rápido do que qualquer objeto feito pelo homem.

“O mais notável da missão da Parker Solar Probe é que ela também está nos dando respostas para perguntas que nem estávamos fazendo”, disse Karl Battams, astrofísico que trabalha com as ferramentas de imagem da sonda.

“Vimos algo nos dados que nunca vimos antes com nenhum de nossos instrumentos e, na verdade, ninguém nunca viu antes”.

Crédito da imagem: Brendan Gallagher / Karl Battams / NRL

 

A trilha de poeira tem cerca de 100 000 km (62 000 milhas) de largura. A parte da imagem tem cerca de 20 milhões de quilômetros (12 milhões de milhas) de comprimento.

“Estamos muito confiantes de que estamos vendo a chuva de meteoros Geminids”, disse Battams.

A trilha misteriosa se originou do asteroide Phaethon disparando ao redor do Sol e deixou para trás a trilha maciça há muito tempo.

“Alguns milhares de anos atrás, passou pelo sol e algo aconteceu”, explicou Battams. “Nós não sabemos o que, mas algo aconteceu com ele, e ele liberou uma enorme trilha de detritos que agora chamamos de chuva de meteoros Geminids”.

Battams, juntamente com sua equipe de pesquisa, descobriram que a trilha continha cerca de 1 bilhão de kg (1 milhão de toneladas) de material, indicando que, de fato, a trilha é dos Geminídeos.

“As pessoas procuram essa trilha há muito tempo. Sabemos que ela existe porque nosso planeta a mergulha todos os anos, mas na verdade não sabemos a estrutura da trilha”.

Uma ilustração da Parker Solar Probe mostra-a voando através da coroa quente do sol e suportando rajadas de vento solar. Crédito da imagem: NASA Goddard

Nos próximos seis anos, Parker deve viajar mais perto do sol 21 vezes mais. Durante cada sobrevoo, a sonda coletará mais dados não apenas sobre o Sol, mas também sobre os geminídeos.

“Toda vez que passarmos, veremos a mesma trilha. Vamos receber as mesmas observações”, observou Battams.

“E toda vez que vamos aprender um pouco mais sobre essa trilha e realmente começar a abordar algumas das perguntas que temos sobre essa chuva de meteoros pelas quais passamos todos os anos”.

Fonte: Nasa

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *