Chuva de meteoros Geminids 2019

INTRODUÇÃO

A chuva de meteoros denominada Geminids (nomenclatura IAU 004 GEM), está associada ao NEO 3200 Phaethon, que pode ter sofrido uma colisão com outro objeto no passado distante para produzir o fluxo de partículas que a Terra passa por dentro, ou então ser um cometa adormecido criando a chuva de meteoros.

Este objeto orbita o sol a cada 1,4 anos, às vezes, ele se aproxima da Terra e também passa muito perto do Sol, dentro da órbita de Mercúrio e apenas 0,15 unidades astronômicas do sol.

HISTÓRICO

A IAU (International Astronomical Union – União Astronômica Internacional) possui uma comissão que trata da catalogação de chuvas e periodicamente revisa o rol de chuveiros, retirando ou renovando periodicamente as chuvas menores dessa listagem, conforme elas são confirmadas ou não.

São aceitas como chuvas estabelecidas apenas 112, dentre as mais conhecidas são: Perseids, Geminids, Leonids, Eta Aquariids e Orionids. 

chuva de meteoros Geminids é considerada um dos melhores chuveiros periódicos. Esta chuva ocorre todos os anos, com meteoros brilhantes que podem ser vistos no céu noturno a taxas horarias elevadas, em locais distantes de céus poluídos pela luz. Historicamente não se tem notícias desta chuva antes do século 19.

O astrônomo e matemático Quetelet foi o primeiro a fazer referências acerca de ocorrências de bólidos em 12 de dezembro de 1830. Somente em 1901 observações sistemáticas foram conduzidas por Dole, em Massachusetts – EUA, se concretizando melhor entendimento sobre o radiante Geminids. Assim escreveu Dole: “…depois das Perseidas em agosto, parece que as Geminidas podem ser a chuva mais consistente“.

ATIVIDADE DE CHUVA PARA O ANO DE 2019

O mapa global abaixo apresenta a região com melhor visibilidade de acordo com o horário de Brasília.

A atividade da Geminids começa na madrugada de 13 de dezembro de 2018 e estende-se até a madrugada de 14 de dezembro de 2018. Este ano a lua interferirá na observação. A atividade deste chuveiro é mais intenso no hemisfério norte, ou seja, a taxa média de meteoros horária para o Brasil é menor, portanto veremos menos meteoros. Entretanto, será possível ver a chuva em todo o Brasil, onde estiver com tempo bom.

A melhor forma de observar é procurar um local bem escuro, providenciando conforto para passar a madrugada, um bom agasalho, lanterna, e olhar para o céu escuro, a partir das 23 horas. Todas as dicas estão neste vídeo.

  1. É muito importante conhecer sua posição, de início você precisa direcionar-se ao leste;
  2. Elevando seu olhar você encontrará logo acima uma estrela brilhante, de magnitude -1,46, chamada Sirius, da constelação Cão Maior;
  3. Observando a sua esquerda você encontrará as famosas três Marias (da esquerda para direita), Mintaka, Alnilam e Alnitak, da constelação Órion.
  4. A partir das três Marias olhe próximo ao horizonte nas estrelas Castor e Pollux da constelação Gêmeos. O radiante está localizando ao lado esquerdo da estrela Castor.

Referencias
IMO international Meteor Organizatiom 
IAU International Astronomical Union.

Edição: Rosenir Gomes e Ana Vitória, alunas do clube de astronomia mochileiros da galáxia e associados EXOSS, responsáveis pela SMS.

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *