Tonto em uma espiral celeste

espiral celeste
Mapa espiral celeste

O “dia a dia” de uma estação da Exoss, que tem o compromisso de um estudo ímpar no País, começa assim: analisando os dados das capturas dos meteoros da noite.

Para obter dados confiáveis e precisos, primeiro é feito o processo de calibração de uma câmera; sobrepomos um catálogo estelar (amarelo) sobre as estrelas detectadas pelas câmeras (azul) da Exoss. Em seguida analisamos os dados e cruzamos com os mesmos dados de uma outra estação/câmera; através desta triangulação obtemos os dados astrométricos necessários para os estudos.

Esses dados são sincronizados através de um software único desenvolvido na Exoss, que é responsável por esse processo de upload das astrometrias individuais de cada uma de nossas estações. Ao final de um período todos esses dados são processados no software que cruzará as informações catalogadas em cada uma das estações para obtenção dos pareamentos, triangulações e obtenção de órbitas.

analisando a espiral celeste
Analisando o mapa celeste

Este processo de sincronização permite que o desenvolvimento dos estudos seja mais rápido e facilitando as análises pelas estações pareadas.

analisando
Analisando o mapa

Os estudos não param por aí, e a Exoss está compondo um catálogo com os dados mais precisos deste banco de dados para um estudo inédito a ser realizado no país.

Em breve teremos novidades, aguardem!

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Gostou deste post? Ficaremos felizes com seu comentário