Exoss registra meteoros simultâneos pela segunda vez

No dia 01 de agosto deste ano duas estações Exoss registraram dois meteoros simultaneamente com pareamento. Clique aqui para saber mais.

No dia 12 de agosto outra câmera Exoss situada em Chapecó/SC registrou o que parece pouco usual: três meteoros simultâneos, em nossa atmosfera.

Estação EMC2 composição de imagens mostrando duas trajetórias
Frame extraído da captura, dois meteoros no mesmo percurso dificultando análise

Seria reflexo na lente? Seria algum inseto?

A primeira hipótese pode ser descartada pelo fato da luminosidade ser baixa em face aos parâmetros da câmera.

A hipótese do inseto é a que melhor se encaixaria neste quesito. Entretanto nesta noite a câmera não registrou nenhuma outra incidência de inseto. Também é sabido que insetos costumam fazer uma trajetória ondulada sendo muito pouco provável três deles voando simultaneamente sem fazer os seus famosos desenhos pela câmera.

Exemplo 1 de inseto voando sobre a câmera, trajetória não linear
Exemplo 2 de inseto voando sobre a câmera, trajetória não linear

Infelizmente não houve pareamento desta captura portanto nos resta trabalhar com as incertezas inerentes a captura simples, usando o máximo possível de informações coletadas.

Gráfico relativo aos 3 pontos luminosos, um único frame
Valores de pixel relativo a um frame da captura
Isolado um único frame da trajetória final dos meteoros 1 e 3, contendo meteoro 2 que se prolongou pelos frames seguintes. Elevação de pixels mais à esquerda do frame são provenientes de ruído no sensor.
14 Frames contendo a parte final do clipe com os meteoros tênues 1 e 3 se dissipando permanecendo o mais brilhante (2) que continuou sua trajetória. Frames 10,11 e 12 evidenciam a dissipação prematura do meteoro 1 permanecendo o meteoro 3 por três frames seguintes até se exaurir
Frame único meteoro 2 e 3 remanescentes
Frame único, meteoro 2 remanescente

Ao utilizar o software Ufo Analyser – suíte SonotaCo, obtemos uma magnitude de -2.1 para a trajetória relativa ao meteoro 2, e magnitude -0.5 para a trajetória referente ao meteoro 3. Não foi possível obter dados relativo ao meteoro 1 por ter sido sobreposto pelo meteoro 2.

Nos resta especular sobre essa interessante captura, os dados evidenciam meteoros triplos com possibilidade de serem a fragmentação nos estágios finais de um meteoro maior; mas o fato de não haver pareamento nos faz permanecermos pacientes esperando o próximo evento com múltiplas câmeras para registrar. Também não houve relatos através da ferramenta exoss.imo.net.

Quanto maior o número de câmeras maiores os “mistérios” que podemos nos aprofundar propondo soluções.

Meteoros simultâneos, registro em tape Japão Leonid 2001.

Edição: Eduardo P. Santiago   

O projeto Exoss Ciência Cidadã é uma rede colaborativa com a participação de universidades e institutos de pesquisa no Brasil e no exterior, e com voluntários cidadãos como você, que também pode participar e ajudar a ciência brasileira.

Compartilhe esta notícia para seus amigos e ajude o projeto!

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Gostou deste post? Ficaremos felizes com seu comentário