UNIVAP inicia registros e estudos de meteoros

Observatório de Astronomia e Física Espacial recebe estação de monitoramento de meteoros

UNIVAP METEOROS
Estação UVP1 instalada no observatório Univap

Em janeiro de 2017 entrou em atividade a estação de monitoramento de meteoros UVP da Universidade Vale do Paraíba, como mais uma atividade no ramo de pesquisa espacial que agora faz parte da rotina dos estudantes do campus Urbanova através da iniciativa do Professor Dr. Irapuan Rodrigues, nesta estação que começou a ser idealizada ainda em 2016.

UNIVAP METEOROS
Prof. Irapuan após fixação de haste para suportar a câmera que fará os registros de meteoros
UNIVAP METEOROS
Irapuan Rodrigues e Eduardo Santiago efetuando ajustes nos equipamentos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sua instalação ocorreu no chuvoso dia 22 de janeiro, com a colaboração de dois associados do projeto Exoss Citizen Science (Suzanne de Paula e Eduardo Santiago) com ativação realizada dentro do planejamento antecipado entre equipes. O processo de instalação contou com equipamentos de baixo custo porém com requisitos e parâmetros necessários para os estudos que ora se inicia, baseados na padronização da Exoss.

A estação de meteoros UVP fará parte da rede de câmeras associadas à Exoss, convergindo experiência desenvolvida nos dois grupos de trabalho.

 

UNIVAP METEOROS
Estação conta com servidor local para astrometrias iniciais dos dados, os trabalhos podem ser realizados remotamente
UNIVAP METEOROS
Estação durante os períodos de testes mesmo durante período chuvoso

A estação trabalhará em conjunto com as demais câmeras da rede com alcance útil, o que chamamos de pareamento. Quando um meteoro entrar na atmosfera em uma área do céu com cobertura de múltiplas câmeras distanciadas algumas centenas de quilômetros entre elas, cada estação terá o registro do fenômeno (meteoro) sob uma perspectiva única, a PARALAXE; com isso é possível através de meteoros pareados realizar a triangulação e obtenção de dados de astrometria do evento que são enviados para um servidor da rede e posteriormente os dados são analisados em conjunto com o Observatório Nacional.

Um vídeo institucional explica com simplicidade a importância do pareamento de estações.

A estação UVP (Univap) está em condições de triangulação com outras estações da rede Exoss e os primeiros resultados já são observados.

UNIVAP METEOROS
Meteoro entre nuvens dia 07/02/2017 as 21:52 hora local (+ 2h UTC)

No dia 02/02 as 02:31 da madrugada a estação UVP realizou uma captura conjunta de um meteoro FIREBALL com outra estação situada na cidade de ITU/SP.

FIREBALL UNIVAP
Meteoro 02:31:07 AM hora local sob perspectivas distintas entre estações nas cidades de Itu/SP e São José dos Campos/SP

A triangulação deste meteoro permitiu uma análise inicial do mesmo que indicou as seguintes características*:

  • Radiante: Esporádico (sem radiante ainda conhecido)
  • Velocidade Observada: 35,7 KM/s aprox. 128.000 KM/h
  • Ângulo de entrada na atmosfera: 49º
  • Magnitude estimada: -4.6 (superior ao brilho do planeta Vênus)
  • Altitude Inicial na atmosfera: 112km
  • Altitude final na atmosfera: 96,4km
  • Distância percorrida: 20,7km

* dados preliminares sem redução de dados

exoss univap
Plotagem tridimensional (amarelo) baseada na triangulação entre câmeras, no detalhe a perspectiva da câmera instalada no observatório Univap

univap exoss
Perspectiva 01 – Triangulação do meteoro Estação Univap e Itu

 

univap exoss
Perspectiva 02 – Triangulação do meteoro Estação Univap e ItuDentre as diversas atividades já executadas pelo Observatório Univap os estudos de meteoros irão agregar conhecimento e aprendizado entre todos os envolvidos. Para isso a equipe do observatório estará envolvida na mais nova atividade a partir deste ano no campus Urbanova.


A equipe atuante no observatório Univap é composta por:

Dr. Irapuan Rodrigues

Astrônomo, professor universitário e pesquisador em astrofísica. É coordenador do observatório de astronomia e física espacial da Univap e o representante na parceria com a Exoss. Associou-se à rede em janeiro de 2017, com a estação de monitoramento UVP na cidade de São José dos Campos/SP, com 1 câmera padrão da rede (Exosscam).

Dr. Alexandre Soares de Oliveira

Astrônomo, professor universitário e pesquisador em astrofísica. Integrante da coordenação do observatório Univap.

Dr. Francisco Carlos Rocha Fernandes

Astrônomo, professor universitário e pesquisador em astrofísica. Integrante da coordenação do observatório Univap.

Matheus Palhares

Estudante de doutorado pela Univap. Integrante da equipe de atuação no observatório.

Jennifer Kristen Nielsen

Estudante de Engenharia Aeronáutica e Espaço e bolsista de iniciação científica do PIBIC-UNIVAP, integrante da equipe de atuação no observatório.

A estação já está coletando dados graças aos esforços da instituição e da associada Suzanne C. Paula em capacitar a estudante e bolsista de iniciação científica Jennifer K. Nielsen responsável pela manutenção diária dos dados da UVP1.

equipe univap exoss
Da esquerda para direita Profº Dr. Irapuan Rodrigues, Prof. Dr. Francisco C. R. Fernandes e a estudante de Engenharia Aeronáutica e Espaço Jennifer K. Nielsen durante o treinamento no início de Fevereiro.

Edição: Eduardo Santiago
Imagens: Suzanne Cristine

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Gostou deste post? Ficaremos felizes com seu comentário