Um observatório histórico e suas contribuições para a ciência brasileira ao longo do tempo

figura-1Foi no dia 15 de janeiro de 1977 que uma equipe de astrônomos brasileiros abriu as portas do primeiro Observatório Municipal do país, denominado então como “Estação Astronômica de Campinas”, trazendo ao público nato a magia de perscrutar e conhecer os céus e nossos vizinhos cósmicos por meio de equipamentos de observação e atividades educativas, contribuindo, assim, para ampliar a pesquisa e divulgação da astronomia e seus fascínios no Brasil.

figura-2

Esse sítio astronômico que hoje recebe aproximadamente 12.000 visitantes por ano, começou por uma ação pioneira de uma equipe formada pelo primeiro diretor, Antônio Pedro Gonçalves Gomes, junto com Jean Nicolini, Nelson Travnik, Aulus P. Pimenta, Romildo P. Faria, Roza Travnik e Julio C. Lobo, tendo, o Observatório, como primeiro instrumento, um telescópio refletor Cassegrain de 600mm, da marca Group – PMC.

A Estação Astronômica de Campinas passou por várias configurações desde a sua inauguração em 1977. Em concílio municipal em 1992 deu um novo nome ao observatório, reconhecendo-o até hoje como Observatório Municipal de Campinas-Jean Nicolini, em homenagem a memória de Jean Nicolini, por seus renomados feitos e contribuições na divulgação da astronomia.14034780_1090907530996519_3140527244498718059_n

figura-3

figura-4

Hoje, um lugar histórico, localizado no Pico das Cabras, na cidade de Campinas/SP, o OMCJN possui altitude de 1.030 metros e localização que favorecem uma das melhores observações de estrelas a olho nu do estado de São Paulo, e umidade relativa do ar propícia aos equipamentos do observatório. Um verdadeiro portal para o passado, na terra e no céu, guiado por um contador de histórias, Júlio Lobo, que conduz o público a viver os mais diversos contos e mitologias figurados nos céus, em paralelo com dados astronômicos, fato que espalha a sinestesia de amor e conhecimento nos visitantes, como uma magia infetuosa derramada da inspiração da nossa abóbada estrelada, em noites cintilantes e frias.

figura-5

figura-6

Partindo para a atualidade no OMCJN, muitos movimentos e iniciativas de âmbito educacional astronômico vêm sendo realizados semanalmente e anualmente, com o mesmo intuito desde sua fundação, o observatório tem cooperado cada vez mais com instituições de ensino e pesquisas, não só do estado. As atividades são regidas e dirigidas pelo astrônomo Júlio Lobo. São algumas delas: “Trick or Treat?”, onde os mistérios de uma região montanhosa e misteriosa, de observações astronômicas, se somam aos mistérios das lendas do Halloween; “Jazz Nas Estrelas” onde a coadjuvante Música se propaga em uma fria noite estrelada, num ambiente natural e isolado da cidade, lhe dando um novo tom; “Food Trucks ” sendo esse o que teve mais destaque, onde a Gastronomia e a astronomia se uniram para dar mais saber e sabor a noite do dia 25 de maio desse ano, atraindo mais de 1.500 visitantes. Não seria para menos o resultado dessa combinação, onde até os inovados pratos ganharam nomes astronômicos! Além dessas atividades bastante criativas, o OMCJN oferece, eventualmente: cursos e palestras e, semanalmente, os domingos de observações, entre outras atividades gerais que podem ser acompanhadas em sua página.

figura-10figura-9

Também é importante ressaltar algumas ações bastante significativas que foram realizadas logo depois de sua fundação, de forma sistemática, como:

  • 1978-1982: Foi lançado o programa astronomia na praça, levando telescópio portátil para campinas e região.
  • 1986: Abertura do local para o público observar a ilustre passagem do Cometa Halley.
  • 1989-1992: A secretaria de cultura lança o projeto “Museu vai às escolas”; O Observatório participa com seu projeto “Observatório vai às escolas”.
    E esses são apenas alguns exemplos.

figura-12

Festa dos 25 anos do observatório

A importância dos observatórios de divulgação científica, tal como o OMCJN, para a educação e a difusão dessa ciência interdisciplinar, tão antiga e futurística, é extrema. Como afirmou o matemático, astrônomo e físico francês, Pierre Laplace (1749-1827), “A Astronomia, pela dignidade de seus objetos, e pela perfeição de suas teorias, é o mais belo monumento do espírito humano, o título mais nobre de sua inteligência”. Os observatórios, além de serem instituições independentes em suas funções, têm papel complementar essencial para instituições escolares, enquanto grande parte dos docentes não têm o preparo suficiente nessa área científica, acaba se tornando responsabilidade daqueles, parte desse papel tão ímpar, que é levar a astronomia para a sociedade.

12647549_964320176988589_7796311929046744388_n

As pesquisas e ações são abrangentes no Pico das Cabras, e não param! No alto daquela montanha de onde se avistam ao menos cinco cidades, está em andamento uma construção privada, um pólo astronômico com atrações como: planetário, museu do universo, astroteatro, entre outros, que se encaminha para ser um dos maiores complexos astronômicos do país, junto ao Observatório Municipal de Campinas-Jean Nicolini.

figura-15

figura-16

figura-17

NOVAS ESTAÇÕES EXOSS EM CAMPINAS

figura-18Como supracitado, as pesquisas também não param, e o observatório em parceria com a rede de monitoramento de meteoros EXOSS, vem armazenando e analisando dados científicos, através de duas câmeras instaladas em outubro de 2015, mais duas que foram instaladas na última sexta-feira, dia 21 de outubro, com a finalidade de monitorar todo o céu do OMCJN, e assim, registrar quaisquer eventuais passagens de meteoros, entre outros fenômenos meteorológicos. figura-19Esses registros, depois de selecionados e analisados por meio de programas/softwares específicos, pelo dirigente da estação, nesse caso, o Julio Lobo, são enviados para o banco de dados da rede, juntando-se aos dados de todas as estações para uma análise mais pormenorizada sobre a natureza, órbita e origem do meteoro. A estação conta com apoio do engenheiro de telecomunicações do observatório, Adilson Fernandes.

figura-20

Com isso, o que podemos observar é que ao longo do tempo, o Observatório Municipal de Campinas-Jean Nicolini vem participando de forma assídua e ativa, além de criativa, na sociedade em sua variedade, em prol da ciência astronômica, e assim como foi fundado pelo sentimento e garra de algumas pessoas há 39 anos atrás, ele continua agindo com o mesmo belo propósito de implantar no coração de muitos o mais belo monumento do espírito, o conhecimento do Universo, a Astronomia.

Edição: Kecia Silva

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

2 comentários em “Um observatório histórico e suas contribuições para a ciência brasileira ao longo do tempo

    • 28 de outubro de 2016 em 4:44 PM
      Permalink

      É verdade Plenus, um excelente local para visitantes de qualquer idade.

      Resposta

Qual sua opinião sobre este post? Deixe seu comentário.