Radiante Alpha Capricornids – CAP com o 4º LUGAR

principais radiantes

O radiante de uma chuva de meteoros é um ponto no céu de onde (para um observador num planeta) os meteoros parecem originar. A nominação de uma chuva e meteoros pode estar associada à localização do radiante no céu. Um observador pode ver os meteoros em qualquer posição no céu, mas a direção de movimento, se rastreada, apontará para o radiante. Um meteoro cuja trajetória não pertence a uma chuva catalogada é denominado esporádico

Veja também: 5º lugar do ranking de chuvas de meteoros

Continuando a série TOP5 de capturas de meteoros da rede EXOSS, o 4º lugar em observações de meteoros analisados é o radiante:

CAP – ALPHA CAPRICORNIDS (CÓDIGO IAU Nº01)

O chuveiro está associado ao cometa 169P/NEAT e é visível todos os anos entre os dias 03 de julho e 15 de agosto.

cap2e

HISTÓRICO DO RADIANTE

Este chuveiro é bem conhecido desde o século 19, mas com o levantamento fotográficos e de dispersão de ondas de rádio, alpha capricornids começou a aparecer mais complexa.

“Este chuveiro parece ter sido descoberto em 1871  Miklos von Konkoly-Thege da Hungria plotados seis meteoros de RA = 305 °, decl = -4° durante 28-29 julho. Em 28 de Julho de 1878, WF Denning da Inglaterra fez uma observação provável desta chuveiro quando ele projetou cinco meteoros de α = 305°, δ = -14° e E. Weiss, também da Hungria observaram o chuveiro durante 25-28 julho, 1879, quando ele projetou quatro meteoros de α = 305 °, δ = -7°” (KRONK, Gary – METEOR SHOWERS ONLINE).

PICO DE ATIVIDADE

A duração deste chuveiro se estende de 15 de julho a 11 de setembro máxima parece ocorrer durante a 01 de agosto (λ = 128,6 °) a partir de uma radiante média de α = 306,7 °, δ = -8,3 °.

mapa
Fonte: International Meteor Organization – IMO

A atividade máxima ocorre por volta do dia 30 de julho, quando a taxa horária zenital fica entre 6 e 14 meteoros por hora. Os meteoros são geralmente descrito como lento. O chuveiro tem a reputação de produzir alguns dos meteoros mais brilhantes das grandes chuvas. Esses meteoros atingem a atmosfera terrestre a uma velocidade de 30 km/s.

OBSERVAÇÕES FEITAS PELA REDE EXOSS

12116484_10200960599893867_1851004572_o

No gráfico acima, com plotagem de todas as Estações Exoss, foram registrados em 2015 dados entre os dias 10 de julho ao dia 17 de agosto, sendo que o maior número de capturas ocorreu entre os dias 19 de julho ao dia 06 de agosto, sendo o maior número de meteoros registrados no dia 20 de julho. Nesse gráfico temos o número de capturas por dia em todas as estações Exoss. Como mencionado, a máxima atividade ocorre no dia 30/07, observamos no gráfico com o valor registrados é inferior a outras datas antes e após o pico. Devemos destacar que esse valor não corresponde a taxa horária zenital (THZ) e sim o número registrado, levando em consideração o número de câmeras ligadas em cada dia, localização e área de cobertura de cada estação.

12116337_10200960600093872_392485177_o

Neste segundo gráfico – Summary Incidence x Station, a distribuição das capturas por estação EXOSS por data.

M20150808_040929_MCZ_4P

Nesta imagem, uma bela captura de um CAP pela estação MCZ de Mogi das Cruzes-SP.

No catalogo oficial da IAU o radiante CAP – Alpha Capricornids encontra-se ativo.

chuva do sul
Disponível no site da Royal Astronomical Society of New Zealand

 

Pesquisa: Diego de Bastiani  Gráficos: Marco Mastria via banco de dados Exoss

Referências:
 1. Astro.amu.edu 
 2. Wikipedia  [1]
 3. MeteorShowers
 4. IMO

exoss wsw 2015

Este post é parte do evento Semana Mundial do Espaço 2015. #WSW15

Acompanhe as atividades da EXOSS através de nosso site live.exoss.org e em nossas mídias sociais.

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Gostou deste post? Ficaremos felizes com seu comentário