“Outra” bola de fogo no céu e a importância da divulgação científica

Ontem 13 de novembro, a Exoss recebeu através de nossos canais, informações acerca de um possível meteoro na região de Interlagos e Taboão da Serra entre 19:30 e 19:40hs. O evento foi noticiado nos portais UOL e G1.

Rapidamente observamos que o evento se tratava de algo que já estamos acostumados a tratar, um rastro de condensação causado por avião.

Mas esse evento em especial nos chamou a atenção e diante disso ao invés de simplesmente eliminar os relatos informando as testemunhas pontualmente sobre o fenômeno que presenciaram, resolvemos mantê-lo para que sirva de referências futuras para esse tipo comum de relato no mundo todo.

O evento em questão é um rastro de condensação causado pelos gases quentes expelidos das turbinas de aeronaves e que se condensam ao entrar em contato com a atmosfera muito gélida.

A premissa para avaliação de um evento de meteoro é muito simples.

Se você teve tempo hábil para apanhar um smartphone ou uma câmera, focalizar minimamente o objeto no céu e disparar algumas fotos e realizar um vídeo então SEGURAMENTE não se trata de meteoro.

O evento de meteoro é algo muito rápido, frações de segundos ou raramente alguns poucos segundos. Tais procedimentos para tomadas de fotos e vídeos em sua maioria é por um golpe de sorte; a pessoa já está com o equipamento em mãos quando presencia um real evento de meteoro e num rápido reflexo pode registrar parcialmente o mesmo.

21 relatos até o momento desta matéria já chegaram na página Exoss.imo.net, e quase todas possuem fotos ou vídeos enviados pelas testemunhas do evento.

http://exoss.imo.net/members/imo_view/event/2017/4268

Detalhe da imagem acima obtida por uma das testemunhas e a sua ampliação evidenciando a dupla esteira de condensação da aeronave.

Tal recurso recentemente implantado (adição de imagens e vídeos) é vital para a correta caracterização do fenômeno, podemos com isso analisar e enfim elucidar o que foi presenciado no anoitecer de ontem.

 

Ilustração acima mostra a dinâmica na produção dos vapores expelidos pelas turbinas de aeronaves.

Os vídeos a seguir explicam em detalhes o fenômeno comum.

Esteira de condensação ao pôr do sol:

Esteira de condensação em detalhes:

Esteira de condensação, como se formam:

Os relatos encaminhados até o momento infelizmente não condizem com o fenômeno estudado pela Exoss, porém a disponibilização de uma ferramenta e uma equipe dedicada a dar a atenção devida a tais pessoas nos permite disseminar cada dia mais o hábito científico na vida das pessoas.

A partir de hoje, algumas dezenas de pessoas estarão aptas a utilizarem corretamente a ferramenta e a divulgá-la, até mesmo em eventos corriqueiros é possível espalhar o saber científico de forma organizada e correta.

Para saber mais como funciona o estudo de meteoros vejam esse vídeo institucional da Exoss:

Para acompanhar os registros em tempo real de nossas câmeras acesse: live.exoss.org

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

2 comentários em ““Outra” bola de fogo no céu e a importância da divulgação científica

Gostou deste post? Ficaremos felizes com seu comentário