Nova chuva de meteoros Volantideas é descoberta

A rede de câmeras de monitoramento na Nova Zelândia – CAMS – detectou um novo chuveiro de meteoros na véspera da virada do ano de 2016. O chuveiro é chamado de Volantids, em homenagem a constelação de Volans, o peixe-voador (constelação do hemisfério celestial sul), do qual os meteoróides parecem surgir no céu.Futselaar-NewYearsEveShower

O CAMS tem 32 câmeras de vídeo que estão distribuídas por duas estações no Sul da ilha Nova Zelândia. Os astrônomos amadores Peter Aldous at Geraldine e Ian Crumpton em West Melton estão operando as estações. Os dados são enviados para o Instituto SETI, onde Jenniskens calcula as trajetórias dos meteoróides.

“A Nova Zelândia, encontrando-se entre 35 e 47 graus de latitude sul, tem uma longa tradição de estudos de meteoros”, diz Baggaley. “Enquanto as observações de radar no passado foram eficientes na observação de meteoros esporádicos, as câmeras de vídeo pode ver as chuvas de meteoros muito bem.”

Jenniskens e Baggaley informaram sobre o novo resultado em um artigo submetido para publicação no Jornal da Organização Internacional de Meteoros – IMO Internacional Meteor Organization. O artigo caracteriza a trajetória de 21 Volantids medidos em 31 de dezembro de 2015, e mais dois em 1 de Janeiro de 2016.

“Estes eram meteoros visíveis a olho nu e as taxas de pico no momento das celebrações locais da véspera de Ano Novo”, observa Jenniskens. “Um em cada três meteoros que noite veio desta chuveiro.”

O chuveiro não foi visto no ano anterior e não é conhecida a partir de observações de radar do passado.

“Um fluxo confinado de partículas de poeira deve ter sido dirigidos para o caminho de terra por um breve momento,” diz o co-autor Rachel Soja da Universidade de Stuttgart, na Alemanha, que calculou que a Terra estará seguro do cometa e os seus detritos em um futuro próximo.

Os meteoróides movem-se numa órbita bastante acentuadamente inclinada semelhante à de alguns cometas tipo “Jupiter-family”.

“O corpo principal desta corrente ainda nos escapa”, diz Soja. “Pode não ser ativa e agora a inclinação elevada pode tornar difícil de detectar.”

Fonte: Seti.org

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Gostou deste post? Ficaremos felizes com seu comentário