Há mais crateras se formando na Lua que a ciência atual esperaria encontrar

Em recente publicação eletrônica da revista NATURE, do dia 12.10.16, estudos baseados nas imagens da sonda lunar  RECONNAISSANCE lançada em 2009,  apontam que novas crateras de impacto são formadas a uma taxa 33% maior que a esperada, o que poderia influenciar o planejamento de uma base em nosso satélite, pois os detritos provindos destes impactos lunares, aos milhares, poderiam atingir perigosamente uma base em solo lunar.

Usando técnicas de imageamento da mesma área, sob a mesma iluminação e mesma  distância, foi possível calcular cerca de 220 novas crateras aleatoriamente espalhadas na superfície da Lua, variando o tamanho de 2 a 43 metros de diâmetro, durante os 7 últimos anos da missão da RECONNAISSANCE.

cratela-lunar

Uma nova cratera com apenas três anos de idade. Créditos: NASA/GSFC/Arizona State University

Mas não só a detecção de constantes impactos lunares têm sido confirmados somente pela LRO, mas também através de telescópios terrestres que monitoram constantemente a Lua, em busca de flashes originados de impactos de meteoritos. Em 2013, em duas ocasiões distintas, dois flashes foram observados da Terra, depois confirmadas as crateras resultantes após a passagem da sonda LRO que as fotografou. Logo abaixo, seguem as imagens de uma dessas novas crateras fotografadas pela sonda, e detectados os impactos da Terra.

content_sept11_blink

Imagem da nova cratera, antes e depois, confirmada pela sonda . Créditos: [NASA/GSFC/Arizona State University].

cratela-lunar2

Imagem de morfologia da LROC, superposta por um mapa de topografia lunar, mostrando o local do impacto, detectado pela equipe do Prof. Madiedo, da Espanha, através de telescópios terrestres, no dia 11 de setembro de 2013. Crédito :[NASA/GSFC/Arizona State University].

Fonte: Revista Nature

Edição: Marcelo De Cicco

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Qual sua opinião sobre este post? Deixe seu comentário.