Fim da Cassini e uma surpresa no céu de Saturno

Após vinte anos no espaço a espaçonave Cassini do projeto da NASA (Missão Cassini-Huygens – NASA/ESA/ISA) chegará ao seu fim. No dia 15 de Setembro a missão composta principalmente pela espaçonave Cassini e a sonda europeia Huygens que nos trouxeram conhecimentos únicos em torno da formação e dinâmica de nosso sistema solar através dos estudos de Saturno e seus satélites terá o seu capítulo final.

Os oceanos escondidos e as fontes hidrotermais em Encélado e o vasto oceano de metano líquido em Titã mostraram a nós seres humanos que temos muito a aprender, a descobrir e a contemplar nesse ímpar e abençoado Sistema Solar a qual temos o privilégio de existir e fazer parte.

Fim Digno

Tecnicamente a missão não chegará ao fim; os dados coletados em todos esses anos são e continuarão a serem estudados exaustivamente por muitos e muitos anos ainda; mas a espaçonave Casssini sim, terá o seu fim.

Esse fim poderia ser em Titã; que talvez teria mais a nos revelar através dos sensores da Cassini em seus momentos finais, porém a sonda Huygens já nos revelou muito quando suavemente tocou sua superfície.

A eventual contaminação deste pequenino “mundo” de forma alguma poderia ocorrer, para essa tarefa (receber nossa Cassini) é preciso alguém mais imponente; um verdadeiro “Senhor” do nosso céu noturno.

Uma surpresa no céu de Saturno

Para essa tarefa nada mais simbólico e poético do que fornecermos aos céus de saturno algo que simbolize a capacidade humana em superar os desafios nesta eterna exploração espacial. Uma “chuva de meteoros”.

Não serão os mesmos meteoros que costumamos observar e registrar na Exoss, mas como se assim o fosse, o céu de saturno será banhado de partículas dessa espaçonave outrora forjados por “mãos humanas”.Fim da Cassini e uma surpresa no céu de Saturno

Um espetáculo que só podemos imaginar e sonhar, pois ali e nas redondezas não há qualquer sinal de vida e sequer inteligente para compreender tal fenômeno, apenas nós humanos daqui da Terra.

Sabemos como será pois isso já ocorre na terra, já que constantemente temos materiais produzidos pelo homem reentrando em nossa atmosfera e comumente confundido com meteoros, alvo de nossos estudos.

Ali será a primeira vez, talvez a única pelas próximas décadas.

Que seus sensores e suas antenas possam nos enviar o máximo de dados possíveis durante seus últimos suspiros.

Céus Limpos Cassini.

Exoss Team Project

Edição: Eduardo P. Santiago

Referências: saturn.jpl.nasa.gov

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Qual sua opinião sobre este post? Deixe seu comentário.