Estatísticas de meteoros (fireballs) e meteoritos

Os leitores perceberão que as partículas que compõem a maior parte da população de meteoroides são as que possuem menor probabilidade de chegarem ao chão e se tornarem meteoritos. Por outro lado, as partículas que compõem a menor parte da população de meteoroides são as que que possuem maior probabilidade de chegarem ao chão como meteoritos. Essa disparidade se torna ainda maior se consideradas as ações do tempo sobre o meteorito no solo. Com isso, os meteoros mais vistos não são encontrados no chão, e os que mais são encontrados no chão são os menos comuns no céu.

Os cientistas levaram muitos anos para perceber essa disparidade, e as publicações científicas parecem frequentemente discordar umas das outras com respeito aos percentuais que diferenciam os tipos de meteoritos. Isso é ainda mais acentuado se o autor combinou meteoritos antigos com achados recentes. Numa tentativa de diminuir a confusão, apresentamos uma diferenciação dos tipos de meteoroide / meteorito, em seus vários estágios:

População geral de meteoros

Como regra geral, quando consideramos a população dos menores meteoroides (e menos luminosos), maior a probabilidade dele ter uma origem cometária. Numa estimativa, a população de meteoros visíveis é composta por aproximadamente 19 meteoros cometários para cada 1 meteoro asteroidal. Isso leva à seguite diferenciação:

  • Meteoroides cometários: ~95%
  • Meteoroides condríticos: ~5%
  • Meteoroides não condríticos: <1%

População de Fireballs

Consederando a população de meteoros de magnitude:

  • Meteoroides cometários: 38%
  • Fireballs tipo IIIb, cometas de baixa densidade: 9%
  • Fireballs tipo IIIa, cometas de alta densidade: 29%
  • Meteoroides condríticos: 62%
  • Fireballs tipo II, condritos carbonáceos: 33%
  • Fireballs tipo I, condritos ordinários: 29%
  • Meteoroides não condíticos: <1%
  • Fireballs sem classe

Close-up meteorito Allende AOA. XPL. FOV=0.3mm Foto: Meteorite Times Magazine

Quedas Observadas de Meteoritos / Descobertas Recentes

Quando consideradas somente quedas recentes de meteoritos, a densidae e a robustez do meteoróide imediatamente se tornam importantes para que consigam chegar ao chão. A população de meteoroides cometários desaparece, e a população dos condritos carbonáceos é drasticamente reduzida. Com isso, os meteoritos que são condritos ordinários e os não condríticos se tornam os constituintes primários dessa população:

  • Meteoroides cometários: 0%
  • Meteoroides condríticos: 84%
  • Condritos carbonáceos: 4%
  • Condritos ordinários: 80%
  • Meteoroides não condríticos: 16%
  • Acondritos: 8%
  • Siderólitos: 2%
  • Sideritos: 6%

Meteoritos encontrados

Uma vez no chão, meteoritos instantanemanete começam a experimentar temperização química e mecânica. Novamente, esses meteoritos que são robustos e densos tendem a suportar mais esses processos. Nesse caso, os meteoritos ferrosos (sideritos) são de longe os melhores, apesar de sua pequena proporção na população geral dos meteoroides:

  • Meteoroides cometários: 0%
  • Meteoritos condríticos: 37%
  • Condritos carbonáceos: <1%
  • Condritos ordinários: 37%
  • Meteoroides não condríticos: 63%
  • Acondritos 3%
  • Siderólitos: 6%
  • Sideritos: 54%

Esse é um campo de estudo em atividade, e lembramos que todos os números acima são estimativas, e sujeitos a revisão conforme nosso conhecimento avança. Nós tentamos selecionar os valores mais representativos para cada tipo.

5Vi um meteoro muito brilhante. Alguém mais viu? Para quem devo comunicar isso?

A International Meteor Organization coleta relatos de fireballs do mundo todo para serem utilizados por nós e outras organizações. Aqueles que viram um meteoro brilhante são incentivados a nos comunicar. Se múltiplos avistamentos de um único evento puderem ser agrupados, às vezes é possível determinar a trajetória verdadeira do objeto em questão.

Se por acaso ver um desses momentos memoráveis, pedimos que relate-o para a International Meteor Organization, lembrando do maior número de detalhes possível. Isso inclui brilho, comprimento no céu, cor e duração. É muito útil que o observador note mentalmente o ponto de início e término do fireball (bola de fogo) em relação à constelação de fundo, ou a direção da bússola e a elevação angular acima do horizonte.

Texto adaptado da AMS (American Meteor Society)

Tradução: Leonardo Sattler

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Qual sua opinião sobre este post? Deixe seu comentário.