Como fotografar Chuvas de Meteoros

Antigamente, precisávamos de muitas chapas de filme (e muita sorte), para fazer capturas precisas.  E pior ainda com a cabeça inclinada para o alto. Atualmente, agradecidos pela era da fotografia digitalizada, temos muito mais chances de registrar boas fotos de “estrelas Cadentes”, na Atmosfera terrestre. Mas como? Devido a estas câmeras digitais, podemos tirar centenas, ou milhares de fotos sem custo algum com chapas, numa noite que tenha Chuva de Meteoros.

Aqui deixamos algumas dicas de como se orientar e se preparar para tirar suas fotos!

Planejamento

Meteoros podem atingir a atmosfera superior a qualquer momento, mas existem algumas “ Chuvas” , que quando a Terra passa por detritos de cometas conhecidos,  geram um aumento nas atividades do céu noturno. Muitos devem ter ouvido falar das Chuvas Perseids e Geminids, mas existem outras que ocorrem durante o ano e elas possuem períodos definidos. Chuvas de Meteoros são nomeadas segundo a constelação astronômica de onde parecem vir os meteoros a partir do solo.  As chuvas, entram em atividade quase na mesma data todos os anos e, existem milhares de aplicativos para celulares e sites que contem horarios e informações sobre estes eventos.

A lua, como um dos prediletos corpos celestiais dos astrofotógrafos, é comumente atribuída como “inimiga” na observação de meteoros. As fases da lua e as Chuvas de Meteoros podem ser diferentes, gerando problemas na observação se a Lua estiver em fases com grande luminosidade.  A curvatura da Lua ou a Lua Cheia, perto do pico de atividade de uma Chuva de Meteoros, resultam em uma má qualidade de observações.  Então, antes que embarquem nesta viagem em capturar meteoros, primeiro olhem em que fase a Lua estará e, aproveitem a Lua nova ou alguma posição baixa no horizonte para maior conforto durante a noite de observação. A lua não irá acabar com suas intenções, mas quanto mais escuro o Céu, melhores são suas chances.

Leia também: 22 dicas de como fotografar meteoros com uma câmera fotográfica DSLR

Céus Escuros

Independentemente da fase lunar ou dos números de atividades nas observações de meteoros, é necessário encontrar algum local escuro (com baixa poluição luminosa) para ver estes eventos. De nada adianta caminhar dentre grandes cidades com muita poluição luminosa para observar meteoroides. De fato, será realmente difícil de ver até estrelas. Por isto, é necessário se dirigir para locais fora da zona urbana. Novamente para ajudar existem sites e aplicativos que auxiliam na escolha de locais com baixa intensidade luminosa no Planeta. Mantenha a esperança que, no mapa conste o fundo do seu quintal ou alguma região próxima de onde mora.

Câmera

Pode-se usar qualquer câmera para captura de meteoros mas é aconselhável ter uma que permita o ajuste de exposição manualmente. Existem também, algumas vantagens em se usar câmeras com sensores maiores para pouca luminosidade em fotografia.  As do tipo DSLR ou espelhadas com um APS-C, ou mesmo com sensor que capta todo o frame. Estas, tem maiores performances, em comparação com câmeras com um único sensor pequeno e sem ser dedicado para isto.

Lentes

Alguns “caçadores” de meteoros, recomendam lentes com campo visual extremamente amplo, ou até as chamadas lentes “Olhos de Peixe”. Outros já preferem lentes comuns de campo de visual amplo.  A vantagem das que possuem campo visual muito amplo, é que cobrem grandes áreas do céu, neste ponto, possuem maior chance de capturar pico de atividades de meteoros. A desvantagem é que o céu irá parecer muito distante do que é realmente, já as outras com campo visual médio ou grande não distorcem tanto esta imagem aparente. Fica a critério de escolha de cada um, mas é melhor começar com acoplamentos de lentes de campo de visão alto ou Lentes Telefoto, porque as chances de pegar os picos de atividades naturais são consideravelmente superiores das câmeras com baixo campo visual.

Exemplo de captura feita com lentes de Alto campo Visual e grande abertura, com relações focais F/1.4 – F/2.0 ou até F/2.8, irão proporcionar melhores capturas das luzes vindas de cometas em fragmentação ou até lixo espacial. Lentes com menor abertura, ainda podem ser úteis, mas não se compara com outras com aberturas maiores. Mais abaixo falaremos mais sobre aberturas destes equipamentos.

Tripé

Fotografias de meteoros, são fotografias Noturnas. Juntamente com algumas técnicas e instrumentos para isso. O principal dentre estes elementos é o famoso tripé. Para se manter a câmera em sua posição durante longas exposições fotográficas, com certeza, precisara de um tripé bem posicionado para isto.  Mas quais tipos de tripé são melhores? Se estiver em uma posição que não se pode ver o campo visual confortavelmente, é preferível um com peso mais leve que outro que possa te derrubar com o peso do tripé! E claro, em lugares em que possa deixar mais fixo possível deve escolher um mais pesado. Controverso, correto? Então, escolha algum portátil que não seja nem muito pesado e nem muito fraco para que não deixe a aparelhagem cair e que dê firmeza durante a exposição.

Recurso de acesso remoto ao obturador

Um segundo elemento em fotografias noturnas, que deve constar na lista de equipamentos, é algum tipo de acesso remoto ao obturador. Antigamente, usava-se um acoplamento rosqueado que acionava o obturador. Atualmente a maioria das câmeras não são compatíveis com este acoplamento, mas possuem a opção de conectar via cabo, sem fio ou até mesmo via aplicativos moveis. Uma dica muito boa, para acesso remoto eletrônico, pois muito provavelmente você pode estar esgotando a capacidade da bateria, quando tira suas fotos durante as capturas no céu noturno, é utilizar uma bateria externa acoplada no circuito,  se sua câmera for compatível. Se não tiver esta possibilidade, uma ligação direta, via cabo da própria fonte da câmera, pode ser a melhor opção.

Leia também: Como esta foto foi feita e como fazer uma também!

Temporizador/Cronômetro

Alguns obturadores, possuem intervalos de tempo e contagem regressiva, dentro do próprio circuito da câmera. A maioria das câmeras atualmente, permitem programar, e muito bem, a frequência das capturas e seus intervalos entre cada captura. Se a câmera não tiver este sistema, pode-se apertar o obturar manualmente de forma contínua, ou configurar capturas em modo de captura contínua.

Fonte de Energia

Como mencionamos acima, pode ser que esteja usando a bateria da câmera no limite, ou além dele. A noite é geralmente mais fria  o que ajuda a drenar a carga da bateria. À noite, implica em exposições longas, onde o sensor da câmera é energizado, por longos períodos de tempo mais um fator que drena baterias. Então, quando for para locais assim, leve as baterias com carga completa e leve baterias sobressalentes. Muitas vezes os melhores meteoros aparecem, justamente após a câmera ficar sem energia!

Armazenamento de Dados

Levem muitos cartões de memórias. Você provavelmente estará filmando continuamente durante várias horas. Esteja ciente de quantas capturas serão arquivadas em cada cartão. Fique de prontidão para trocar  os cartões de memória quando estiverem cheios. Repetindo  os melhores      meteoros aparecerão justamente quando os cartões de memória estiverem cheios!

Formato dos Arquivos

Geralmente, gostamos de gravar usando o formato de arquivo completo da câmera. No entanto, como estará capturando um monte de fotos, melhor considerar a captura no formato JPEG, com maior resolução, para preservar o espaço em seus cartões de memória. Fotografar o céu noturno em JPEG , não é o fim do mundo! Isso pode ajudar a acelerar o seu trabalho de pos-processamento das imagens, e buscar as que conseguiu capturar os meteoros.

Tempo de Exposição – Velocidade do obturador – Star Points ou Star Trails?

Você deseja configurar sua câmera para uma exposição adequada do céu noturno. Existem três variáveis ​​em questão e a velocidade do obturador é uma delas. Quanto mais tempo o obturador estiver aberto, mais luz entra na câmera e mais raias de meteoros você pode capturar em um único quadro. No entanto, a Terra gira em seu eixo, de modo que as estrelas acima da cabeça se transformarão de pontos de luzes em trilhas de luzes em sua imagem. É um dilema. Trilhas de Estrelas ou Estrelas pontos? Você deve decidir.

Se você quiser evitar trilhas de estrelas e apenas ficar com os pontos de luz, use a Regra 600: para uma câmera full-frame, divida 600 pela distância focal de sua lente e a solução é aproximadamente a mais longa exposição que você pode fazer e não ter o rastro das estrelas visivelmente. Exemplo: 600 dividido por uma lente de 21 mm = 28,57 segundos.
Se estiver  filmando uma câmara APS-C, pode converter o equivalente de distância focal de 35 mm e utilizar a fórmula da Regra 600 ou, sem converter, utilizar a regra 400. Mesma fórmula, números diferentes.  Exemplo: 400 dividido por uma lente de 21 mm (equivalente a 35 mm de 31,5 mm) = 19,0 segundos.

Abertura

Quando se trata de abertura, quer seja capturas com a lente aberta em posição estática, é necessário ajustar o foco para uma melhor nitidez. Este procedimento deve ser feito no intervalo entre duas exposições, para se ter uma boa análise. Por que ajustar a lente? Os rastros de meteoros são geralmente fracos, assim, poderá melhorar suas habilidades em captura de luz. Uma boa forma é parar as observações, ajustar a abertura da lente para um menor campo de visão, e fazer uma longa exposição do céu noturno. Geralmente um rastro de meteoro com pouco brilho pode não ser o suficiente para registrar na câmera. Portanto, faça capturas com a lente bem aberta e alto campo de visão, ou o mais perto possível, mantendo a proporção do ajuste preciso.

ISO- sensibilidade do sensor da câmera à luz do ambiente

Quando você está ajustando sua exposição, você ja terá selecionado sua velocidade do obturador baseado no que você quer congelar as estrelas ou tê-las em rastros. Você também ja escolheu  sua abertura.  Agora, você ajustará seu ISO,  se necessário, para compensar sua exposição. Portanto, não há ISO pré-determinado . Tente manter o ISO o mais baixo possível, porque o ruído digital é ruim para suas imagens, especialmente no céu noturno.

Composição

Uma imagem que contém apenas estrelas e o céu fica ótima, mas alguns fotógrafos gostam de adicionar novos objetos em cena, como uma montanha, árvores ou estruturas. Isso pode melhorar o cenário geral da imagem, bem como fornecer algum contexto geográfico para a imagem em destaque. No entanto, quanto mais “coisas” incluir em sua imagem, menor será a parcela do céu para pegar um meteoro.

Apontamento

Como mencionamos sobre a composição, existem algumas coisas que ajudam a melhorar as chances de obter uma boa foto de pontos luminosos. A constelação onde a chuva de meteoros aperenta vir é chamada de radiante. Rastros de luzes que cruzam a imagem, oriundas de outras partes do céu não fazem parte desta chuva de meteoros específicamente. Para obter as trilhas de meteoro mais longas, tente posicionar a câmera em uma inclinação de 45 ° para a direita ou para a esquerda, de modo que os meteoros não incidam diretamente na câmera. No eixo vertical, incline a câmera para um ângulo de 40 ° a 50 ° para cobrir a parte do céu que terá maior atividade.

Tenha Paciência

Prepare-se mentalmente com muita paciência antes de sair para capturar uma foto de um meteoro entrando na atmosfera da Terra. Mesmo durante as chuvas de meteoros com maior intensidade,  pode ser que não veja mais de um mteoro por minuto. Um bom planejamento é ficar longe de áreas urbanas  por um longo tempo, e cruzar os dedos para que a câmera capture uma foto no momento certo.

Além disso, saiba que a maioria das fotos (algumas ilustradas neste artigo) com vários meteoros e rastros nas capturas são compostas por sobreposição de imagens, justamente onde os meteoros de várias imagens diferentes são combinados em uma única foto!

Aproveite o espetáculo

Um resumo para o planejamento:

Para resumir o seu plano: Dirija onde está escuro, configure o seu tripé, pegue a câmera apontada na direção certa, decida se você quer capturar pontos de estrelas ou trilhas, exponha para o céu e comece a disparar a câmera em disparos contínuos Como o céu da noite passa sobrecarga. Com sorte, você vai ter alguns quadros com a raia de uma estrela cadente e, como um bônus, as fundações para um vídeo de lapso de tempo frio do céu noturno.

E, enquanto sua câmera está fazendo todo o trabalho duro, deitar-se em uma cadeira de gramado ou puxar um pedaço confortável de imóveis, olhar para as estrelas, e desfrutar do show!

 

  • Vá para algum local com pouca luminosidade;
  • Configure o seu tripé;
  • Faça o apontamento correto da câmera;
  • Escolha o que quer capturar- pontos luminosos ou rastros.
  • Aponte para o céu, e comece configurando o obturador em modo continuo, até esgotar a capacidade de armazenamento dos cartões de memória da câmera;

Com sorte você terá algumas imagens com o rastro de um meteoro e como bônus  boas imagens para vídeos posteriores, aproveitando o frio da noite.

E enquanto sua câmera faz todo o trabalho árduo, deite-se em uma cadeira reclinavel  ou no que for mais confortável e aproveite para desfrutar o show de uma chuva de meteoros.

Fonte: BH Photo Video

Tradução: Tiago Torres

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Qual sua opinião sobre este post? Deixe seu comentário.